Usuários de ônibus pedem que aumento represente melhorias

No primeiro dia da volta do custo da passagem a R$ 2,20, população reclamou por não sentir efeitos do reajuste na qualidade do serviço. Entrave para isso é a falta de investimentos públicos, diz associação de empresas

No primeiro dia de aumento das passagens de ônibus, muita reclamação de quem utiliza os coletivos. “R$ 0,20 faz muita diferença para quem precisa trabalhar e estudar e depende, muitas vezes, de menos de um salário mínimo. Se pelo menos dispuséssemos de um serviço de qualidade”, desabafa o estudante de filosofia Davi Dias Cruz, de 24 anos.

Ontem, em coletiva no evento “Cenários do Varejo”, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), em Fortaleza, o prefeito Roberto Cláudio reafirmou o compromisso de reduzir, novamente, a tarifa dos ônibus. “Iremos recorrer dessa decisão e esperar que a Justiça se pronuncie”. A postura foi reforçada por seu vice, Gaudêncio Lucena. “Tudo o que for cabível, a Prefeitura fará”, ratificou.

Um dos pontos levantados pelas pessoas diante do aumento da tarifa é a qualidade do transporte público. “Não se tem o mínimo conforto. Algumas linhas só andam lotadas”, relata a enfermeira Francineide Carvalho, 36.

Este é um fator que, de acordo com o presidente da Comissão de Direitos do Consumidor, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Eginardo Rolim, não vem sendo discutido entre Prefeitura e empresas de ônibus. “Fala-se apenas em aumentos e a população continua recebendo um serviço de péssima qualidade: ônibus que vivem lotados, atrasados. Há muito desgaste ao consumidor numa situação como a que vem acontecendo”, acrescenta Eginardo.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), Dimas Barreira, fez questão de destacar que os R$ 0,20 a mais é somente para manter os serviços como ele se apresenta atualmente à população. “Uma coisa é pleitear mudanças, outra é querer simplesmente honrar compromissos. Essa qualidade traz um custo que não é nosso foco no momento”, justifica Dimas.

Entrave

O diretor administrativo institucional da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Marcos Bicalho, diz que o grande entrave para oferecer maior qualidade está na “cultura política de que o serviço de transporte público deve ser autossustentável”. “As empresas arcam com todos as despesas e não são poucas: mãos de obra, combustível e manutenção dos veículos são nossos maiores custos. Estamos trabalhando para oferecer bem isso”.

Segundo Marcos, é preciso que existam subsídios governamentais para que o custo ao usuário diminua e a qualidade aumente, “mas a verdade é que a mobilidade urbana brasileira, passa por uma grande crise”, finaliza. (Colaborou Teresa Fernandes)

ENTENDA A NOTÍCIA

Segundo a OAB, falta, na discussão das passagens de ônibus, o fator qualidade do transporte público. A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) diz que faltam investimentos públicos para isso.

Saiba mais

Valor das passagens pelo Brasil

1º – São Paulo (SP): R$ 3

2º – Cuiabá (MT): R$ 2,95

3º – Campo Grande (MS): R$ 2,85

4º – Porto Alegre (RS): R$ 2,85

5º – Belo Horizonte (MG): R$ 2,80

6º – Salvador (BA): R$ 2,80

7º – Manaus (AM): R$ 2,75

8º – Rio de Janeiro (RJ): R$ 2,75

9º – Florianópolis (SC): R$ 2,70

10º – Goiânia (GO): R$ 2,70

23º – Fortaleza (CE): R$ 2,20 (Em Natal e Belém, é o mesmo valor)

Por dia, em Fortaleza, aproximadamente 1 milhão de pessoas utilizam uma frota de 1923 ônibus.

A passagem voltou a custar R$ 2,20 ontem
FONTE: O POVO ONLINE

 

Anúncios
por Jassiel Cesar Postado em Politica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s